DNVGL.com.br

Breadcrumbs

Abril: mês da saúde

SHARE:
PRINT:
Healthcare training
Em especial ao mês da saúde, ANS promove mobilização nacional durante todo o mês de abril em prol do combate à depressão e à obesidade. A DNV GL segue junto nesta luta!
  • Published:
  • Author:
  • Keywords: Business Assurance, Healthcare

Dando continuidade ao estímulo das ações de promoção da saúde no setor de Saúde Suplementar, a ANS está promovendo junto às operadoras uma mobilização nacional durante todo o mês de abril em prol do combate a dois temas que têm sido muito debatidos nacionalmente e internacionalmente: a depressão e a obesidade.

A partir do dia 07/04 - Dia Mundial da Saúde, a ANS iniciou uma campanha que tem como slogan: “Da sua saúde, cuidamos juntos”. O objetivo é estimular que as operadoras promovam para os seus beneficiários ações que colaborem tanto para a redução dos percentuais de sobrepeso e de obesidade, quanto para o melhor diagnóstico e tratamento da depressão. A intenção é que, por meio de práticas e orientações que motivem uma mudança de hábitos e de estilo de vida, seja possível promover mais saúde e qualidade de vida na sociedade. 

Para mais informações sobre como participar junto a ANS desta mobilização, acesse o site: http://www.ans.gov.br

Depressão


Mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades sofrem desta doença no mundo. Vamos mudar esta realidade? 

Para o Dia Mundial da Saúde de 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também deu início a uma campanha sobre depressão, transtorno que pode afetar pessoas de qualquer idade em qualquer etapa da vida. Com o lema “Let’s talk” (“Vamos conversar”), a iniciativa reforça que existem maneiras de prevenir a depressão e também de tratá-la. 

Segundo a OMS, o número de pessoas que vive com depressão está aumentando – 18% entre 2005 e 2015 -, e as mulheres são mais afetadas do que os homens. A estimativa é de que mais de 300 milhões de pessoas de todas as idades sofrem com essa patologia no mundo, que é considerada um transtorno mental frequente. Ela é a principal causa de incapacidade e contribui de forma muito importante para a carga global de doenças. 

No pior dos casos, a depressão pode levar ao suicídio. Embora existam tratamentos eficazes conhecidos para depressão, menos da metade dos afetados no mundo (em muitos países, menos de 10%) recebe tais cuidados. Os obstáculos ao tratamento eficaz incluem a falta de recursos, a carência de profissionais treinados e o estigma social associado aos transtornos mentais. 

É de suma importância diferenciar a tristeza da depressão. Bem como estar atento ao fato de que esta doença, muitas vezes, é silenciosa e devastadora quando não tratada. 


Material de consulta - base científica: 

O Manual de Intervenções para transtornos mentais, neurológicos e por uso de álcool e outras drogas na rede de atenção básica à saúde (MI-GAP) é uma publicação da OMS que fornece ampla gama de recomendações para facilitar a prestação de cuidados de alta qualidade. Ele também apresenta o manejo integrado das condições prioritárias, por meio de protocolos, para a tomada de decisões clínicas. Para acessar o material disponibilizado pela ANS, clique aqui.


Obesidade


No Brasil, cerca de 50% da população está acima do peso. Que tal controlarmos, juntos, o ponteiro da balança? 

A OMS também aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde no mundo. No Brasil, ela vem crescendo cada vez mais. Levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso, ou seja, na faixa de sobrepeso e obesidade. Entre crianças, estaria em torno de 15%. 

Segundo os dados de 2015 do Vigitel da Saúde Suplementar, a frequência de adultos com excesso de peso encontra-se na faixa de 52,3%. Em relação à obesidade, foi apontada uma frequência de 17%, a qual aumenta conforme o avanço da idade (até 44 anos) e o nível de escolaridade, sendo maior entre os homens. 

O consumo alimentar é considerado um marcador de padrões saudáveis e não saudáveis de alimentação e foi apontado como um indicador importante para identificar os indivíduos em risco. A análise desses indicadores norteia o desenvolvimento de ações de promoção ou recuperação da saúde. 

No enfrentamento do sedentarismo, ressalta-se outro indicador utilizado no Vigitel, e preconizado pela Organização Mundial de Saúde – OMS, que é a frequência da prática de atividade física - equivalente a 150 minutos de atividade moderada por semana. Este indicador é um importante elemento na promoção da saúde e qualidade de vida. Foi encontrada uma frequência de 43,4%, sendo maior entre homens, tendendo a diminuir com o aumento da idade. 

Já sobre as atividades físicas envolvidas no deslocamento, foi observada uma frequência de 10,4%, que tende a diminuir a partir dos 55 anos. 


Materiais de consulta - base científica: 

- A publicação Alimentos Regionais Brasileiros – 2ª edição do Ministério da Saúde traz, além dos alimentos por região, receitas culinárias, dicas de como cozinhar com mais saúde e uma lista de possíveis substituições para as preparações desenvolvidas, ressaltando nossa diversidade cultural. Para acessar o material disponibilizado pela ANS, clique aqui.

- Vigitel Brasil 2015 - Elaborado pela ANS e pelo Ministério da Saúde, o objetivo desta publicação é monitorar, por inquérito telefônico, a frequência e distribuição dos principais determinantes das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil. Para acessar o material, clique aqui

- Guia Alimentar – como ter uma alimentação saudável - Com o objetivo de orientar o cidadão a ter uma alimentação saudável e fazer escolhas alimentares mais adequadas, o Ministério da Saúde lançou esta versão de bolso do Guia Alimentar no formato de “Dez Passos para uma Alimentação Saudável”. Publicação traz também um teste sobre alimentação, que pode ajudar a refletir e modificar hábitos alimentares. Para acessar o material, clique aqui



Fonte: 
Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS